Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

caixa dos segredos

Bocados de mim embrulhados em palavras encharcadas de emoções. Um demónio à solta, num turbilhão de sensações. Uma menina traída pelas boas intenções.

07
Mar19

De onde vem este ódio pelas mulheres?


vanita

Os números já cansam mas nunca pesaram tanto. Desde o início do ano morreram 12 mulheres (serão mais?) vítimas de violência doméstica em Portugal. Nas últimas 24 horas, foram encontrados três cadáveres, se não contarmos com mãe e filha carbonizadas num carro em Lagoa de Albufeira. Às vésperas do Dia da Mulher (venham lá falar-me em jantares de gajas e maquilhagem que vão ver), estes números assumem o peso da tragédia com maior intensidade. Um cenário que ganha maior dimensão com as polémicas em torno do juiz Neto de Moura e das suas decisões absurdas que em nada protegem as vítimas da crueldade alheia. É impossível continuar a atirar com areia para olhos e fingir que nada se passa. É imperativo adoptar políticas sérias e imediatas que combatam a demora de resposta do Estado perante casos há muito sinalizados como problemáticos. Se não queremos falhar como sociedade, temos de garantir que os mais desfavorecidos - mulheres, crianças, idosos e todos quantos necessitem - se sintam seguros quando a sua integridade física é posta em causa. Não podemos continuar a alimentar o medo. A violência galopante destes últimos meses traz o mesmo alerta que os incêndios de verão dos últimos anos: estamos a falhar e não podemos continuar a fazê-lo. Os números envergonham-nos. É tempo de assumir o flagelo e dar luta ao problema. Não sei de onde vem este ódio pelas mulheres. Sei que temos de o travar. Hoje é um bom dia para começar.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    vanita 10.03.2019

    Obrigada :)
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D