Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

caixa dos segredos

Bocados de mim embrulhados em palavras encharcadas de emoções. Um demónio à solta, num turbilhão de sensações. Uma menina traída pelas boas intenções.

05
Abr21

À procura da manhã clara


vanita

Nós, os filhos que Zeca Afonso chamou da madrugada, nascemos e crescemos em Liberdade e, até à pandemia de 2020, ainda não tínhamos sofrido na pele as agruras de um desafio maior. Não fomos à guerra, tivémos a sorte de nos ser garantida uma educação escolar mínima e, até, de sermos os primeiros de muitas gerações a ingressar no ensino superior em algumas famílias. Fossem só rosas e seríamos uns mimados. Mas nós, os filhos da madrugada, também somos os inauguradores dos estágios curriculares e trabalhos de borla anos a fio até conseguir um, prometido e poucas vezes conseguido, lugar no quadro empresarial. Foi a nós, aos filhos da liberdade, que se prometeram vidas nunca conquistadas, salários nunca alcançados, promessas sempre veladas. Os empréstimos sem juros nem obrigações chegaram antes de nós. Quando foi a nossa vez, sem rendimento fixo, nem valores que permitissem deixar as marmitas em casa ou trocar os transportes públicos por um carro próprio, tivémos que nos arrastar em quartos alugados, nunca nossos, ou quedar em casa dos pais até ao limite do absurdo. As tais carreiras ambicionadas geraram uma dedicação profissional ao nível yuppie que hipotecou vidas familiares, sempre adiadas. Com vencimentos aliciantes apenas para as entidades patronais. Aos filhos da madrugada não foi assim tão simples ter filhos, muitas vezes sinónimo de abdicar da carreira para a qual foi incentivado o estudo. Quantas vezes a emigração foi a solução? Tivémos a sorte de nascer e viver em Liberdade toda a nossa vida e, até à pandemia de 2020, não tínhamos sido marcados por um desafio maior. Mas, muito antes disso, apesar de circunscritos à casa dos pais ou arrastados em situações precárias, talvez por isso mesmo, já mostrámos a nossa garra. Ganhamos pouco, não temos progressão de carreira nem que passem vinte anos de experiência, os bancos trucidam qualquer sonho que nos passe pela cabeça e a vida família só tem lugar numa alucinante equação em que só os patrões podem sair a ganhar. Sim, somos filhos da madrugada, mas nunca encontrámos a manhã clara.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub