Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

caixa dos segredos

Bocados de mim embrulhados em palavras encharcadas de emoções. Um demónio à solta, num turbilhão de sensações. Uma menina traída pelas boas intenções.

26
Fev18

11 anos


vanita

Tinha um Nokia de concha, que sempre odiei. Comprei-o para substituir o 6110 que me roubaram numa noite no Bairro Alto. Esse, sim, tinha lá guardadas todas as mensagens importantes do momento mais difícil da minha vida. Além de tudo o que tinha aprendido nos últimos meses, ainda tive que saber superar a perda física de momentos que já passaram. O primeiro iPhone tinha sido apresentado há pouquíssimos meses e eu ainda não tinha percebido para que raio é que aquilo servia: mais um brinquedo a centenas de euros para preencher vidas vazias.

Usava-se o Hi5, a primeira rede social a servir de fonte de informação para alguns jornais. Chegou a fazer manchete no 24horas. Onde é que anda agora o Hi5? No mundo obscuro da internet. Ninguém sabe, ninguém quer saber. O atento mundo profissional do digital discutia a substituição dos blogs pelo microblogging, consubstanciado no Twitter. Uma reviravolta que nunca chegou a acontecer em Portugal.

Apesar dessa discussão, os blogs estavam a dar os primeiros passos: era web 2.0. A interacção do utilizador com o leitor, numa medida nunca antes vista. Havia um programa de rádio que se dedicava a conhecer os bloggers por detrás desses tais primeiros blogs. Ansiava por apresentar o meu: nunca aconteceu. Mas fui convidada para ir à TVI por causa de um texto que aqui escrevi. Não entenderam nada. Acharam que tinha dito o oposto do que estava a escrever. Recusei o convite.

Usava-se o MSN para comunicar e, ainda sem o advento do FB, as linhas de status eram do mais divertido que podia existir. Mensagens directas e indirectas, comentários passivo-agressivos, havia de tudo.

O meu carro era o meu primeiro carro, em terceira ou quarta mão. Um Twingo bordeaux, que me levou ao sudoeste pela primeira vez, ao Gerês, a Pitões das Júnias, com passagem por Espanha, ao Minho e sei lá mais quantos sítios. Libertou-me finalmente da prisão dos transportes públicos para ir ver os meus pais ao fim-de-semana.

Tinha um computador portátil Asus, novo a estrear. Durante anos fiz selfies minhas com a câmara - ainda não se chamavam selfies - e adorava ver a minha própria evolução. Deixei de usar esse computador e nunca recuperei as fotos. Lá está, a prática do desprendimento que aprendi com o telemóvel.

Trabalhava há tantos anos no mesmo sítio que acreditava que a minha vida nunca mais ia mudar, que ia ficar ali para sempre. O para sempre não existia, era apenas o presente. Tinham-me diagnosticado um cancro meses antes: perdi a eternidade aos 27. Foi numa noite assim, no quarto alugado onde assistia aos Óscares, que nasceu a Caixa dos Segredos. Dura até hoje e já tudo mudou.

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D