Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]


17.02.16

Ainda estás no...?

por vanita

Este é o post e o momento da minha vida de que tenho sempre mais saudades. Fazia o que queria, o que sempre quis. Era jornalista num diário nacional de grande circulação, responsável por algumas das manchetes que faziam o país acordar em sobressalto e vivia numa adrenalina permanente que me causava insónias crónicas. Este é o momento mais feliz porque já o era há muito tempo, tinha uma carreira consolidada e isso era sinal de perseverança para quem ainda nem tinha chegado aos trinta. A angústia da estagnação era uma linha fina num horizonte tão distante que se esfumava no brilho de dias tão radiosos. Esta realidade manteve-se durante muito tempo, mas muito já mudou desde então. Sei que evoluí, nunca baixei as armas nos momentos mais complicados e até terei sabido manter o mesmo nível de exigência que gosto de me impor, sem que o fantasma da inércia me voltasse a assombrar. Ainda assim, este é o momento da minha vida profissional de que tenho sempre mais saudades. 

publicado às 22:26

17.02.16

Crise de identidade

por vanita

Não direi que é a famigerada angústia da folha em branco porque nem sou escritora nem isto é papel, mas a maleita de que sofro bebe dessa frustração de me afundar num mundo de ideias e pensamentos encurralados nesta profunda incapacidade de dar à estampa o que outrora fazia sem desgastos de alma. Não me faltam temas, discussões, argumentações, abordagens mais ou menos dignas de exposição ou vontade de o fazer. O que não sobra é paz de espírito para justificar o esforço. Com que intuito, com que objectivo? Não é a ausência de dividendos mas, sim, o vazio que me sufoca a espontaneidade. Haverá antídotos para estes casos?

publicado às 20:57

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.