Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]


22.11.14

Cinco razões para ir ver "Os Jogos da Fome" mesmo que seja adulto e queira ser levado a sério

por vanita

Estreou esta semana o terceiro filme da saga Os Jogos da Fome, o penúltimo da adaptação ao cinema da trilogia de Suzanne Collins. À parte o quesito de a indústria cinematográfica insistir nesta "técnica" de rentabilizar os fenómenos de bilheteira dividindo os últimos livros das sagas Young Adult em dois filmes, há razões que podem contar no momento de decidir se vale ou não a pena ver um filme que é - temos de admitir - de transição. Não há como esconder, a verdadeira acção acontece no próximo filme. Então, de que vale sair de casa para assistir a um filme de crianças? É para isso que vos deixo aqui estas cinco razões. E sim, já vi o filme. Numa sala de cinema.

  1. Philip Seymour Hoffman. Voltar a confirmar o talento do actor falecido em Fevereiro é mais do que razão para ver o que aconteceu a Katniss Everdeen e Peeta Mellark depois dos últimos Jogos da Fome. Foi a sua última personagem e é, de longe, a melhor da saga.
  2. Juliane Moore. Não é o melhor papel da actriz, mas é uma figura de peso que confere alguma qualidade ao elenco do filme, na pele de Alma Coin, uma personagem nova que trará significativos desenvolvimentos à história no próximo filme. Assim já não fica embaraçado quando disser aos amigos que foi ao cinema ver o filme do momento.
  3. Apesar de ser um filme de transição, Os Jogos da Fome - A Revolta, Parte 1 pode servir de base para muitas aulas de Ciência Política. Chocado? Veja o filme e depois falamos sobre revoltas sociais e políticas, marxismo, propaganda e estratégias políticas. Falamos do povo e do seu papel face ao poder de quem está ao comando das revoluções. 
  4. Jennifer Lawrence e Liam Hemsworth. Ela é a coqueluche de Hollywood no momento e ele é irmão do homem que esta semana foi considerado o mais sexy do mundo. Se ele faz jus aos genes da família, logo um bálsamo para a vista, há quem garanta que é impossível olhar para ela e não visualizar as fotos que lhe foram criminosamente roubadas e divulgadas para quem as quisesse ver. Duvido que seja uma razão adulta para ver o filme, mas acredito que pode pesar na decisão de alguns.
  5. Jennifer Lawrence canta. E que bonito que é ouvi-la durante quase três minutos a dar voz a uma canção que tem tanto de revolta como de objecto de análise acerca da subversão dos povos. Queriam motivos não-adolescentes para ir ao cinema? Este momento vale o bilhete.  

Não chega? Deixem-se de coisas, vão-se divertir. Como adolescentes. Sabe tão bem.

publicado às 22:50

22.11.14

Sede de justiça

por vanita

As reacções à detenção do ex-Primeiro-Minitro, José Sócrates, revelam um país desesperado, que perdeu o sentido de bom senso e justiça. Pouco falta para que se reclame a existência de fogueiras e forcas em praça pública. Não tenho partido ou cor política e sou sempre pelo lado mais justo, seja ele qual for. O consensos em manada assustam-me sempre, bem como a ausência de espirito crítico e analítico. Não ponho em causa factos, nem duvido da sua existência, mas questiono formas e timmings de actuação, assim como o envolvimento de pessoas alheias aos processos. Não falo exclusivamente deste caso, faço-o de uma forma geral. Parecendo que não, há regras e estas ainda devem ser respeitadas. Há segredos de justiça e existem razões válidas para que assim seja e as fugas de informação, criteriosamente entregues a interessados, não glorificam os processos. Eu entendo a sede de justiça num país sem esperança, também a sinto, mas ainda não consigo alinhar no alheamento de quem não questiona o que lhe é atirado aos olhos. Há muitos pormenores errados neste processo. Tantos que quase o deitam por terra e isso, sim, é mesmo de lamentar.

publicado às 17:43

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.