Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

caixa dos segredos

30
Mai14

Vem antes de eu morrer, ok?


vanita

Foi assim que a minha tia me pediu para a ir visitar aos Estados Unidos. Já era assim que a minha avó, na altura talvez mais nova do que a minha tia é agora, pedia que ela a viesse visitar. Neste caso cá, a Portugal. A vida de emigrante é bem mais difícil do que as estatísticas alguma vez podem tentar explicar. Já há quase vinte anos, quando me despedi desta minha tia, numa visita cá ao burgo, depois de o plano de voltar para sempre a Portugal ter sido abortado, a despedida teve este peso. "É a última vez que te vejo. Agora só se lá fores". E não, a distância não apaga a ligação de sangue. Não se explica, mas aquelas pessoas fazem-nos sempre falta. Como nós a elas.

30
Mai14

There's a new place in town


vanita

Ah, e tal, estou farta de hamburguers. Não, não estás. Só que ainda não conheces o Pampas Burguer, o próximo grande sítio da moda em Lisboa. A rebentar dentro de dias, uma vez que vai sair nos roteiros das revistas da especialidade, que é como quem diz, na Time Out e na Sábado e essas coisas todas que fazem Lisboa mover-se de um lado para o outro. E se vale a pena? Oh meus amigos, mas eu lá estaria a escrever isto se não valesse? Não só vale como vos digo para experimentarem também. Fica na Praça José Fontana, mesmo em frente ao Liceu Camões. Não tem nada que enganar. Vão lá e deliciem-se.

29
Mai14

A sociedade é estúpida


vanita

Com o tempo descobri que, muitas vezes, as pessoas tidas como bondosas e humanas podem ser as piores víboras com que nos cruzamos na vida. Que, não raras vezes, gente menos consensual e que gera anti-corpos nas mais variadas frentes pode mesmo pertencer à categoria das melhores pessoas que algum dia vamos conhecer. A honestidade, sinceridade e lealdade são apregoadas unanimemente como valores superiores a que todos ambicionamos e que todos procuramos no outro. A maior mentira de sempre. A sociedade vibra com os sorrisos de circunstância, as meias verdades e conversas que versam apenas o politicamente correcto, nada que belisque o bem-estar comum é visto com bons olhos. Socialmente, quem pratica a franqueza e transparência é tido como outsider, alguém que não encaixa nos cânones convencionais. A sociedade é hipócrita e está podre. A sociedade é estúpida porque vive uma mentira com um sorriso sonso na cara. A sociedade é estúpida e bem pode ser mandada à merda. Descansem. A sociedade responde com uma pequena gargalhada e muda de assunto. Nada a afecta.
26
Mai14

Ainda sobre as eleições


vanita

O povo falou e todos o tentam calar. Dois terços dos eleitores, 66 por cento, OPTOU por não ir às urnas. Estamos a falar de um povo sofrido, que todos os dias reclama as agruras da vida e dos impostos que não param de crescer. E querem fazer calar o grito surdo de quem já não tem mais armas para se fazer ouvir. Mais de metade dos eleitores passou chumbo pesado aos nossos políticos, ignorá-lo ou desvalorizá-lo é tão ou mais irresponsável do que os que fazem crer que estes dois milhões de portugueses preferiram passar o dia à sombra da bananeira. Não se façam tolos.
25
Mai14

Ganhei as eleições


vanita

Pela primeira vez na vida, votei na abstenção. Sim, votei. Foi uma escolha ponderada e consciente e a única que me serve. Não compactuo com nenhum dos partidos envolvidos nem das suas propostas, não me revejo nas actuais políticas e formas de chegar ao cidadão e, como o voto em branco além de ser um risco, continua a não contar para as estatísticas, resolvi que esta seria a única forma possível de chegar a minha voz a algum lado. Espero que não me ignorem.
23
Mai14

Follow Friday: the last one!


vanita

Tem sido divertido dar-vos estas sugestões todas as semanas, mas vamos ficar por aqui. A minha última sugestão é o meu próprio blog. Gosto de vos sentir por aí, gosto do pulsar de quem não conheço e é para vocês - entidade invisível, sem sexo ou género - para quem escrevo. São a minha companhia secreta e quero manter-vos sempre por aqui. Obrigada por ainda não terem desistido de mim.

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D