Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]


01.08.12

Servidão Humana, de W. Somerset Maugham

por vanita
Afinal, as angústias e crises existenciais há muito que roubam o sono de seres que se questionam desde tenra idade. Crescer, compreender o mundo que nos rodeia e encontrar o significado da vida é uma descoberta que se faz dia-a-dia, ao longo de toda a existência. Nada que não soubéssemos de ante-mão. A novidade é que os elaborados pensamentos que povoam mentes inquietas podem ser expostos com linguagem simples e directa, sem frases elaboradas e registos de estilo rococó. Este jeito de contar histórias, sem necessidade de engrandecer o ego do autor, encanta e deslumbra-me. W. Somerset Maugham fá-lo com mestria em "Servidão Humana", enquanto nos conduz pela vida de Philip do pé boto. Um romance auto-biográfico tão enternecedor e cru que apazigua a alma.
publicado às 20:01

01.08.12

Servidão Humana #5

por vanita
"Ele esperou sob as estrelas, sentado nos degraus da passagem, entre os arbustos que se erguiam altos em seu redor com as amoras a amadurecer. Do solo elevavam-se as ricas fragrâncias da noite e o ar estava macio e calmo. O coração palpitava-lhe como louco. Não conseguia perceber nada do que lhe estava a acontecer. Associava a paixão a gritos e a lagrimas e veemência, e não havia nada disso em Sally".
publicado às 16:27

01.08.12

Servidão Humana #3

por vanita
"Era uma das bizarrias da vida que se pudesse ver uma pessoa todos os dias durante meses e ser-se tão íntimo que nem se pudesse imaginar a existência sem essa pessoa; depois dava-se a separação e tudo continuava do mesmo modo, e o companheiro que parecera essencial revelava-se desnecessário. A vida continuava e nem sequer se sentia a sua falta."
publicado às 02:38

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.