Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]


08.09.09

Isto envolve muita ciência para mim!

por vanita
Farta de andar na rua e não reconhecer as pessoas até lhes bater com o nariz na tromba, cansada de ser obrigada a puxar pelos óculos em concertos porque... enfim, não via os artistas lá ao longe; e cheia de vontade de ser moderna decidi aderir a essa vulgaridade que são as lentes de contacto. Toda a gente as usa - até os meus dois manos - e ninguém faz um drama tão grande como eu. Ou é porque demoro preciosos minutos a colocá-las de manhã quando já estou atrasada para o trabalho, ou porque não sei se as coloquei do avesso e a dúvida não me larga. De qualquer forma, ao fim de uma semana, pensei que o pior já tinha passado e, agora, seria apenas uma questão de habituação. Mais coisa, menos coisa. Até ao momento em que a lente me caiu das mãos e nunca mais a encontrei! Ainda estou com as lentes de teste e as senhoras da loja - queridas que são! - venderam o lote que estava reservado para mim. Com esforço lá encontraram uma extra, que trouxe contentinha para casa. Afinal, os astros não me estavam a mandar mensagens divinas para não usar as lentes. E não é que encontrei a lente perdida colada aos azulejos da casa-de-banho? Durinha, durinha. Dizem que, mesmo assim, se pode usar, se ficarem umas quantas horas no líquido. Não podia ser tudo mais simples?
publicado às 21:23

08.09.09

Post 1001

por vanita
Perguntaram-me se conseguia estar sete dias sem blogues. Claro, disse sem hesitar. E foi por isso que não tiveram novidades minhas durante uma semana. Mas também foi por isso que não partilhei convosco o dia de Lord Ganesha, que já tinha programado na minha cabeça. Quem é Lord Ganesha, poderão perguntar. Nem eu sabia, não estivesse tão viciada na cultura indiana. Muito por culpa de uma novela que passa tarde e a más horas na SIC, cujo nome não vou dizer por recato. Não fica bem a uma menina que se quer intelectual e literada dizer que vê novelas. Mas todos sabem do que falo. Voltando ao que interessa, Lord Ganesha é um deus hindu com cara de elefante, mestre do intelecto e da sabedoria. É conhecido como o "Deus da Boa Fortuna", que proporciona prosperidade e boa sorte; também há quem lhe chame "Destruidor de Obstáculos", tanto no sentido material como espiritual. O pouco que descobri bastou-me para decidir que queria falar nele no dia 28 de Agosto, porque li algures que é neste dia que se lhe presta homenagem. Não tenho a certeza se assim será, a verdade é que só agora vos falo disto.

A minha ausência estragou-me outros planos. Sabia que estava quase a chegar ao milionésimo post e queria escrever algo marcante - com graça, não se assustem - que reflectisse a minha evolução como blogger. Uma verdadeira seca, como se pode imaginar. Na altura a ideia fazia sentido. Acabou por sair o que se vê, sem que eu tivesse grande controlo no assunto. Saiu, apagar seria estúpido e assim ficou. Não me parece mal, para ser sincera!

Pelo meio ainda recebi um miminho, que me deixou derretida. A Rapariga do Batom Vermelho distinguiu-me com este prémio. Mais do que o selo, mais do que a lembrança, adorei a forma como ela fala deste espacinho que é cada vez menos meu, mais vosso. O Post 1001 serve para mostrar que ainda cá estou, gosto de cá andar e - com ou sem planos - quero continuar a deixar bocadinhos de mim para quem os quiser ler. Já vos agradeci muitas vezes. Aqui fica mais uma. Namasté!
publicado às 01:54

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.