Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]


22.08.09

Olha o miminho!

por vanita
Há muito que não recebia um agrado destes. Foi a Síndrome dos Trinta que se lembrou aqui da Caixa dos Segredos. E não é que gostei da definição que ela faz do meu cantinho? "Um blog de peripécias e sentimentos que gosto de espreitar". Com a dificuldade que tenho para me definir é sempre uma surpresa descobrir como surjo aos olhos dos outros. Obrigada!

Como sempre, dizem as regras que o selo é para passar ao outro e não ao mesmo. Cá vai disto:

Dos Meus Saltos Altos - Uma surpresa, uma agradável surpresa!
Laranja ó Chocolate - A ver se te convenço a voltar ao blogue. Já tenho saudades :)
The New Black Is... - Estou a gostar de descobrir esse teu lado.
Buttafly...fly...fly - Gosto mesmo de ler os posts desta menina.
Crónicas das horas perdidas - Faz parte do meu top 5 desde que me aventurei na blogoesfera.
Life Is A Masterpiece - Tens escrito menos, mas continuo a gostar da forma como brincas com o teclado!
O amor é um lugar estranho - Há quem não goste do estilo. Não faço parte desse grupo. Continua sempre assim!
A arte de ser... loira - Outra que está a precisar de um empurrão. Há muito que não nos dás nada para ler.

Agora já sabem. Espalhem o docinho por aí!
publicado às 18:07

19.08.09

Comiseração

por vanita
Cada vez tenho menos paciência para as relações humanas. Para os jogos que, sem excepção, adoptamos no dia-a-dia. Com a família, nas compras, no trabalho, com os amigos, com a cara-metade. Que levante o braço quem nunca se sentiu injustiçado. Quem, qual vítima de um jogo que não pode controlar, nunca achou que o Mundo estava contra si. E quem, com a sensação de que estava a ser alvo de facadas nas costas, já teve a certeza de ser uma vítima da sociedade. Todos passamos por isto. Mas alguns crescem. Outros - mais do que seriam desejável - continuam a acreditar que são um poço de bondade e que, quando alguma coisa corre mal, é o Mundo que gira contra eles. Nunca erram, nunca admitem que também eles podem ter magoado quem estava ao seu lado. E, já diziam os filósofos mais antigos, é essa a maior grandeza do Homem. Ter a humildade de admitir a sua própria pequenez. Ser a vítima é o caminho mais fácil, à partida, mas também o que mais entraves traz às relações pessoais. Porque a vítima acha-se acima do outro. Não erra, é magoada e alvo de uma grande injustiça. A maior parte das vezes não percebe que essa atitude, essa sim, é a maior de todas as injustiças cometidas. Façam um favor ao Mundo: cresçam! Se a vossa amiga não ligou, não façam birra. Agarrem no telefone e liguem de volta. Se o vosso namorado não vos contou que se cruzou com uma amiga, não o massacrem. Falem sobre o que vos incomoda. Dialoguem. Porque nem sempre somos donos da razão. Por incrível que pareça!
publicado às 23:24

16.08.09

Regresso ao trabalho

por vanita

  • Ainda tenho sintomas de gripe? Sim!
  • Já liguei para o 808 24 24 24? Mais de quatro vezes!
  • Atenderam? Nunca e ainda cobraram as chamadas para ouvir o funcionário automático...
  • Fui ao Centro de Saúde? Pois claro!
  • O médico desvalorizou os sintomas? Ah, pois desvalorizou!
  • Receitou Tamiflu? Não. Xarope para a tosse, comprimidos para as dores e um anti-alérgico.
  • Sinto-me melhor? Ahhhh, o que é sentir melhor? Ainda me dói o corpo todo, ainda me custa a respirar, mas sim, já me consigo mexer...
  • Devo ir trabalhar amanhã? Pois claro. Até porque não há ninguém que me atenda o 808 24 24 24 para me aconselhar!

Estamos a dois meses de eleições. Inacreditável!

publicado às 21:44

14.08.09

32 anos

por vanita
Ela era uma menina, tinha 17 anos. Ele um homem feito, já com 24 anos. Pouco mais tinham do que o amor que sentiam um pelo outro quando decidiram que era suficiente para dar um passo em frente. Subiram ao altar há 32 anos. Hoje têm três filhos e a casa que foram construindo aos poucos, um passo de cada vez. Eram outros tempos. A família sempre foi o pilar central e tudo o resto se conseguiu com esforço, muito trabalho e dedicação. Não imagino o quão difícil terá sido superar muitas das dificuldades com que se depararam até agora. Agora, que os 17 são 49 e os 24 se transformaram em 56. Passaram 32 anos e eu espero que venham muitos, mas mesmo muitos mais por aí. Parabéns aos meus pais. Um dia quero viver uma história como a vossa, a nossa!
publicado às 02:34

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.