Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]


20.05.09

Mas quem?

por vanita
Quem é que um dia acreditou e incentivou o meu devaneio de tirar um Mestrado? Hunh? Agora ando aqui a queimar os poucos neurónios que se passeiam no T0 do meu cérebro a tentar descobrir teorias que justifiquem a bela tese que me propus defender. E não é que esta gente, tão inteligente e instruída que vem referida em tudo o que é obra académica de mérito nunca se lembrou de estudar a coisa pelo mesmo prisma que me passou pela cabeça? O mais provável é eu estar mal. Mas bolas, até tenho de me actualizar e aprender a usar essa ferramenta de última geração que é o Power Point! Eu, que cheguei aos 30 sem nunca usar nada destas modernices. O que me deixa mesmo agastada é que hoje recebi o reembolso do IRS e vou ter que fingir que não se passa nada, assobiar para o lado e usá-lo para pagar as propinas. Está mal, está tudo mal!
publicado às 23:35

20.05.09

Foi um momento

por vanita
Foi um momento
O em que pousaste
Sobre o meu braço,
Num movimento
Mais de cansaço
Que pensamento,
A tua mão
E a retiraste.
Senti ou não?

Não sei. Mas lembro
E sinto ainda
Qualquer memória
Fixa e corpórea
Onde pousaste
A mão que teve
Qualquer sentido
Incompreendido,
Mas tão de leve!...

Tudo isto é nada,
Mas numa estrada
Como é a vida
Há uma coisa
Incompreendida...

Sei eu se quando
A tua mão
Senti pousando
Sobre o meu braço,
E um pouco, um pouco,
No coração,
Não houve um ritmo
Novo no espaço?

Como se tu,
Sem o querer,
Em mim tocasses
Para dizer
Qualquer mistério,
Súbito e etéreo,
Que nem soubesses
Que tinha ser.

Assim a brisa
Nos ramos diz
Sem o saber
Uma imprecisa
Coisa feliz.


Fernando Pessoa
publicado às 01:48

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.