Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]


29.12.08

"Não, não sabe!"

por vanita
Digam-me sinceramente se é só a mim que faz confusão o anúncio do Antigrippine que voltou a ser repetido insistentemente na TV? Aquela resposta prepotente que os engripados dão faz-me arrepiar. Que gente mal-educada! E o pior, o anúncio retrata uma forma de estar que começa a ganhar raízes. "Não, não sabe!"? Com o ar mais superior do Mundo! O quê? Nunca ninguém esteve constipado ou engripado antes destas alminhas? Haja dó!
publicado às 22:47

26.12.08

Ushanka

por vanita

Hoje é dia de falar de presentes na blogoesfera. Não sou nada fã dessas coisas mas este não posso deixar passar em branco. É lindo e veio da Polónia para a minha árvore de Natal. Mais um pouco e vinha da Lapónia, está quase lá. Sempre quis um chapéu destes - descobri agora que se chama Ushanka e é inspirado nos chapéus militares do Exército Russo. O meu é em preto e muito mais giro que esse da fotografia. Só quero ver se tenho coragem de o usar em Lisboa!
E pronto, assim se esgotam os momentos materialistas natalícios neste blog...
publicado às 17:10

22.12.08

Natal... mais um post!

por vanita
"Tão bom o Natal! Traz tanto conforto humano, familiar e espiritual. Sei que muita gente sofre nesta data e fica deprimida na altura da Consoada. Quase todos pela mesma razão: pela falta dos seus. Muitas vezes estamos sozinhos porque queríamos ter outras pessoas ao nosso lado. Sei que não é fácil gerir a falta de um ente muito querido, uma pessoa da família, mas o Natal é a comemoração dos vivos, a celebração de estarem todos juntos...
É óbvio que é complicado ultrapassar a falta de alguém. Não quero minimizar isso. Pelo contrário! É pena a vida ser assim. A única certeza que temos é a de que um dia não estaremos todos juntos. Daí, de toda a depressão que a constatação desse facto possa causar, também devia nascer a alegria de viver O momento, aproveitar as tréguas que a vida nos dá e ser genuinamente feliz! É por isso que eu gosto do Natal.
Porque nos obriga a reflectir, porque nos obriga a parar e a dar valor ao que temos ao nosso lado. É por isso, por esse valor que todos sabem e conhecem tão intimamente, que muitos se sentem tristes nesta época do ano. Porque não querem pensar, porque têm medo de falhar nas expectativas - eu própria sofro tanto desse mal -, porque se apercebem que nem tudo está bem na forma como se relacionam com as pessoas ao longo do ano, etc.
E tudo isto porquê? Porque embora as queixas relativas à quadra natalícia sejam mais do que justas, a verdade é que é impossível ser-se indiferente ao espírito do Natal. TODA a gente sabe que é Natal. Comemore-se ou não, acredite-se ou não, católicos, agnósticos, ateus e fiéis de outras religiões sabem o que o Pai Natal, o pinheiro, as luzes e o consumismo escondem: uma mensagem de amor tão forte e tão singela que a todos atordoa. O Natal traz ao de cima a criança mais inocente e pura que há dentro de cada um. No fundo, mesmo criminosos, bandidos e outros malfeitores - quero eu acreditar -, todos querem permanecer fiéis à criança que foram um dia. Não há magia mais bonita do que esta!

Feliz Natal!"

Texto de Vanita, escrito no moleskine, na madrugada de 24 de Dezembro de 2006
publicado às 13:12

Pág. 1/4

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.