Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]


20.08.08

"Todos nós já estivemos em Barajas"

por vanita
Ouvia-se hoje no meu local de trabalho. Não será bem assim. Eu, por exemplo, só lá estive em Maio. Podia nunca ter estado. Mas é mesmo aqui ao lado e é isso que toca. É impossível ficar indiferente a um acidente como o que aconteceu esta tarde no Aeroporto de Madrid.

"Porquê", perguntava-se ainda. Porque facilmente nos conseguimos rever nas pessoas que estavam dentro daquele avião, respondo eu. Porque todos nós conhecemos alguém que podia, por um acaso, estar ali dentro. Porque a ligação da Spanair com a Lufthansa não é uma realidade assim tão distante. Ainda no mês passado foi dessa forma que o meu irmão regressou da Croácia. E porque todos - mesmo os que não admitem! - temos medo de andar de avião.

O que é que este acidente tem de especial? Mais uma vez, foi aqui ao lado e acidentes destes são raros na Europa. Porque isto aumenta as estatísticas e não faz nada bem ao pânico que sentimos quando estamos de malas aviadas no aeroporto.

Mas não é só por isto. É porque morreram 150 pessoas. Porque sentimos cada uma dessas pessoas como se fosse alguém próximo. E depois de ouvir o comandante da TAP que falou na SIC Notícias, de quem não consegui descobri o nome, pensamos duas vezes antes de voltar a comprar um bilhete low cost. Porque isto de poupar na segurança tem que se lhe diga. Assim como o facto de se sofrerem represálias caso se opte por abortar um vôo apenas porque as luzes que se acendem no cockpit não nos dão confiança total para o fazer. Dito pelo homem que garante que voar de avião não é, actualmente, mais seguro que andar de carro.

Enfim, medos antigos voltaram hoje todos à tona da água.
publicado às 23:21

20.08.08

Princesas

por vanita
Gata Borralheira, Cinderela, Branca de Neve e Bela Adormecida. Isto é demasiado complicado para a minha cabeça. Sempre foi, desde miúda. E o raciocínio repete-se, mesmo à beira dos 30, como pude comprovar numa conversa que acabei de ter. Eu não as distingo, às princesas, entenda-se. Normalmente a coisa começa assim:

- Há duas com nomes diferentes que são a mesma não é? A culpa é da Disney. Mas não sei quais são. É a Cinderela e a Bela Adormecida, certo?

Não, não está certo! A Bela Adormecida e a Cinderela são histórias diferentes. A Bela Adormecida pica-se num fuso e fica a dormir 100 anos. A Cinderela é que é a que perde o sapatinho na festa.

-Ah, ok. Então, a Cinderela é a Gata Borralheira! A culpa é da Disney. Isso eu sei.

Digo eu, contente por ter desfeito o engima pela milionésima vez. Sim, porque este raciocínio - já tinha dito? - é recorrente na minha vida. Quando era miúda, não havia mês em que não gastasse neurónios com isto [explica muito, eu sei!]. É quando estou a arrumar os nomes nas gavetas do meu pequeno cérebro que se faz luz. Ou melhor, a dúvida renasce.

- Mas elas não são três? E aquela dos anões, qual é que é a dos anões? É a Cinderela?

Não! A dos anões é a Branca de Neve!

- Hummm. Tens a certeza? É que a Branca de Neve também fica a dormir.

A Branca de Neve adormece envenenada com a maçã!

- Ah, ok. Então são três princesas. Está bem, está bem. Há mais nomes por causa da Cinderela e da Gata Borralheira. A culpa é da Disney.

Quais é que são as princesas mesmo? Não demora muito até a dúvida voltar, acreditem. E digam lá se, exposta esta lacuna, não se percebe melhor a minha falta de jeito com os contos-de-fada? Se nem com as histórias infantis eu me safo, como é que pode haver esperança que seja diferente em qualquer outra versão? O que vale é que... a culpa é da Disney!
publicado às 00:13

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.